O Curso


Histórico 

Em meio a um cenário em que emerge a busca por um processo de desenvolvimento ecologicamente equilibrado, economicamente viável, culturalmente harmonioso e includente, visando garantir recursos para as gerações atuais e futuras. Considerando o acelerado processo de exploração e deterioração de recursos naturais pelo qual a região amazônica tem passado nas últimas décadas, se fazem urgentes ações que possam propiciar:

a) o entendimento das características e da dinâmica do ecossistema amazônico e suas respostas frente às alterações de origem antrópica; b) o aperfeiçoamento e ou desenvolvimento de métodos, técnicas e princípios de abordagens na avaliação, prognóstico e diagnóstico ambiental que possam contribuir para o desenvolvimento de indicadores e modelos de gestão baseados em princípios de sustentabilidade e nas particularidades regionais, que por sua vez, auxiliam na definição das ações de remediação e de controle ambiental, com foco em ações de saneamento básico e conservação dos recursos naturais de modo integrado.

Nesse sentido, foi criado na Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR) – Campus de Ji-Paraná, o curso de Bacharelado em Engenharia Ambiental (atualmente Bacharelado em Engenharia Ambiental e Sanitária), em funcionamento desde o ano de 2007, tendo por objetivo a formação do Engenheiro Ambiental (atualmente Engenheiro Ambiental e Sanitarista), de modo a atender às demandas da sociedade com vistas às políticas de desenvolvimento nacional, com base nos conhecimentos científicos, tecnológicos e sociais visando o desenvolvimento sustentável (PPP EA, 2009).

Em pleno funcionamento e cumprindo ao seu papel social, por meio de atividades intensas de ensino, pesquisa e extensão, o Departamento de Engenharia Ambiental (DEA) tem subsidiado, além do curso de graduação, o curso de Pós-Graduação “lato sensu” em Engenharia Ambiental (2008-2009), e cursos de formação de professores e gestores ambientais. Em conjunto, projetos de pesquisa e extensão têm sido desenvolvidos, no âmbito do Grupo de Pesquisa em Engenharia Ambiental que conta atualmente com dez pesquisadores (com mestrado e doutorado), 25 estudantes (de graduação e mestrado) e dois técnicos, e do Grupo de Pesquisa em Águas Superficiais e Subterrâneas, no qual atuam quatorze pesquisadores (com mestrado e doutorado), dez estudantes (de graduação e mestrado) e dois técnicos.

O êxito de tais ações, aliadas à grande carência e demanda por parte da sociedade por cursos de aperfeiçoamento, motivou o corpo docente do DEA a buscar suprir tal lacuna com oferecimento do curso de pós-graduação “strictu sensu”, o Mestrado Profissional em Rede Nacional em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos – ProfÁgua, o que permitiu a ampliação de seu papel social e ambiental.

Em conjunto com a necessidade de ações para fazer frente às demandas de um acelerado crescimento populacional e econômico, vem a corroborar o fato de que a reestruturação do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária contribuirá para a necessária formação de quadros acadêmicos e científicos, bem como para a produção e disseminação de conhecimentos, por meio do ensino, da pesquisa e da extensão, fundamentais para um desenvolvimento sustentável dessa importante parcela da região da Amazônia.

 

Perfil do Egresso 

 

Um Bacharelado em Engenharia Ambiental e Sanitária deve ter por função primordial, a formação do profissional voltado para a solução de problemas ambientais. Desta forma, o perfil do egresso do Bacharelado em Engenharia Ambiental e Sanitária do Campus de Ji-Paraná compreenderá uma sólida formação tecnológica, científica e profissional geral que o capacite a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística em atendimento às demandas da sociedade. O engenheiro ambiental e sanitarista deverá apresentar competências e habilidades para:

  1. ter uma visão sistêmica e multidisciplinar, espírito empreendedor com capacidade de trabalhar em equipe;

  2. ter formação humanística e visão holística, com postura ética, atenta para as questões econômicas, sociais e ambientais; capacidade de autoaprendizado e aperfeiçoamento contínuo;

  3. atitude e capacidade para resolução de problemas e tomada de decisão, aplicando conhecimentos matemáticos, científicos, tecnológicos e instrumentais aos problemas de engenharia ambiental e sanitária;

  4. estar apto a pesquisar, desenvolver, adaptar e utilizar novas tecnologias, com atuação inovadora e empreendedora;

  5. exercer atividade profissional atendendo à legislação ambiental vigente;

  6.  projetar e conduzir experimentos e interpretar seus resultados;

  7. conceber, projetar e analisar produtos, processos e sistemas na área de atuação;

  8. planejar, supervisionar, elaborar e coordenar projetos e serviços de Engenharia Ambiental e Sanitária;

  9. identificar, formular e propor soluções a problemas ambientais e sanitários;

  10. desenvolver e/ou utilizar novas ferramentas e técnicas;

  11. avaliar criticamente a operação e a manutenção de sistemas ambientais e sanitários;

  12. comunicar-se eficientemente nas formas escrita, oral e gráfica;

  13. atuar em equipes multidisciplinares, sabendo transitar pelas diversas áreas do conhecimento fronteiriço das engenharias, diferenciando-as;

  14. compreender e aplicar a ética e responsabilidades profissionais;

  15. avaliar o impacto das atividades da engenharia ambiental e sanitária no contexto científico, social, econômico e jurídico;

  16. supervisionar a operação e a manutenção de sistemas ambientais e sanitários;

  17. estimular o aprendizado da autonomia e da responsabilidade profissional;

  18. favorecer e estimular a vivência de relações profissionais e interpessoais;

  19. avaliar a viabilidade socioeconômica e ambiental de projetos de engenharia;

  20. compreender o contexto socioambiental no que tange às comunidades indígenas, ribeirinhas e quilombolas;

  21. assumir a postura de permanente busca de atualização profissional.

O perfil do engenheiro formado no Campus de Ji-Paraná possibilitará o seu ingresso em cursos de pós-graduação, onde terá a oportunidade de direcionar sua atuação em um dos campos da Engenharia Ambiental e Sanitarista (industrial, governamental e de consultoria). Evidentemente, o objetivo é de formar um engenheiro ambiental e sanitarista e não um pesquisador, cuja formação completa é tarefa da pós-graduação, mas isso não exime o curso de estimular e desenvolver novas vocações (potenciais pesquisadores) para estudos avançados e atividades de pesquisa. 

O profissional engenheiro ambiental e sanitarista atua na preservação da qualidade dos ambientes aquáticos, da atmosfera e do solo a partir do diagnóstico, manejo, controle e recuperação de ambientes urbanos, rurais e naturais. As funções do profissional da área incluem investigação, avaliação, adaptação e implantação de sistemas de produção ambientalmente viáveis, recuperação de áreas degradadas, o controle e monitoramento dos processos e atividades causadores de impactos ambientais. 

Têm também as atribuições de orientar as empresas e organizações para receber licenças ambientais de funcionamento e processos de certificação ambiental. O engenheiro ambiental e sanitarista pode, ainda, elaborar propostas alternativas para o tratamento de poluentes e para a utilização racional de recursos naturais. O mercado de trabalho do engenheiro ambiental e sanitarista é bastante abrangente, sendo essencial que sua formação acadêmica seja multidisciplinar, constando no currículo componentes curriculares de exatas, biológicas, humanas e de gestão.

 

  

Ato de Reconhecimento e Renovação de Reconhecimento 

Reconhecimento

Portaria n. 655, de 11 de dezembro de 2013

Clique Aqui

______________________________________________________________________

Renovação de Reconhecimento

Portaria MEC No - 947, de 30 de agosto de 2021

Clique Aqui

 

Registro E-mec

202119639

 

Portaria MEC No - 1.094, de 24 de dezembro de 2015

Clique Aqui

 

Registro E-mec

201003990

 

Histórico do curso; portaria de criação (ou ato de convalidação)

Resolução 113/CONSEA, de 09 de janeiro de 2006

Resolução 219/CONSEA, de 03 de dezembro de 2009

Resolução 277/CONSEA, de 01 de junho de 2012

Resolução 476/CONSEA, de 17 de abril de 2017

 

Conceito Preliminar de Curso - CPC

 3

Clique para acesso ao E-mec 

 

 Período de Funcionamento 

Integral (manhã, tarde e noite)

 

Carga Horária Total

4680 horas 

 

Periodicidade 

10 semestres 

 

Vagas Anuais Autorizadas

45